Notícias

Ir a Campo: Projeto leva alunas a ação voluntária em Minas Gerais

19/07/2018 - 09:40

Foto:

Karenn Karolinne Silva Elias, Débora Moreira de Oliveira, Mariana Lopes Ferraz, Aline Agustini, Alanna Saraiva, Tatiani Sabadini

O projeto “Maria Rennotte” surgiu de um ideal comum entre o acadêmico do curso de medicina Henrique Nascimento Ribas Garcia e a Professora mestre em Enfermagem Camila Aline Lázaro, ambos da instituição de ensino UNILAGO.

Trabalhar com o objetivo de suprir necessidades de atenção e cuidado nos níveis básicos de saúde nada mais é do que um desafio de proporcionar ao máximo de pessoas de uma comunidade selecionada o melhor e mais completo possível do serviço a ser prestado.

O projeto teve início há 2 anos, nos quais foram feitos diversos planejamentos, seleções e contatos com prefeituras e comunidades com necessidades que pudessem se enquadrar ao oferecimento do mesmo; seleção de membros voluntários, desde o primeiro ao último período da graduação em medicina; treinamento desses voluntários referente às atividades a serem desenvolvidas; composição de uma equipe de diretoria que proporcionasse organização e administração devida das atividades e por fim execução das propostas nos locais planejados e acordados.

Neste semestre foram realizadas ações nas cidades de São José do Rio Preto-SP, com atuação dos alunos em medidas preventivas quanto às doenças crônicas que mais acometem a população, hipertensão arterial e diabetes, na qual foram realizadas as medidas de glicemia e Pressão arterial e a população foi orientada conforme necessidades ocorrentes; Mirassol-SP, na qual foram realizadas atividades educativas em escola, com a metodologia de palestras e apresentação de vídeos educativos referentes à cuidados com educação sexual e saúde mental; e por fim, a primeira atuação em cidade fora do estado, com número de atendimentos maior e responsabilidade do projeto em exponencial crescimento: Conquista-MG.

A cidade de Conquista no estado de Minas Gerais conta com um população de cerca de 7500 habitantes e uma necessidade de atuação profissional médica em diversas áreas. Foram 134 atendimentos realizados, em duas unidades de saúde, contando com as especialidades: Triagem, Clínica Médica, Pediatria, Cardiologia, Endocrinologia, Ginecologia e Obstetrícia e Psiquiatria. Foram envolvidos um total de 40 voluntários, dentre eles enfermeiros, médicos, acadêmicos de medicina e enfermagem.

Nosso contato direto foi com a secretária da saúde local, que nos orientou quanto às necessidades e planejamentos de atuação. A receptividade foi excelente e a atuação gratificante, coerente e superante quanto às expectativas do que se espera de um projeto social.

Os alunos tiveram uma das suas primeiras, senão a primeira ação social de forma mais direta, e a forma de devolutiva deles mais coerente e digna não poderia ser diferente do que os próprios sentimentos traduzidos em palavras por essa experiência:

---------------------------------

“Depois de muito tempo e com várias lutas, finalmente o projeto Maria Rennotte saiu do papel e tomou forma. Primeiramente parabéns aos organizadores pela determinação em realizar um projeto tão lindo e cheio de luz. Agradeço também a oportunidade em ter participado pois foi extremamente importante para o meu desenvolvimento pessoal e também profissional. Esse projeto nos relembra o que de mais importante deve existir em todos nós seres humanos mas principalmente em todos os profissionais da área da saúde: a empatia! Pois como dizia Carl Jung “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.” Parabéns mais um vez a todos que organizaram e participaram, foi maravilhosa a experiência, com certeza quero participar outras vezes” (Karenn Karolinne Silva Elias – 12º Período Medicina Unilago).

---------------------------------

“Primeiramente quero agradecer a professora Camila Lázaro e os integrantes da diretoria do Projeto Maria Rennotte pela oportunidade de participação e experiência adquirida. Sinceramente, foi muito lindo e gratificante. Sou aluna do 2 período e pude acompanhar a área de ginecologia e obstetrícia. Algumas mulheres as quais atendemos, nunca haviam realizado o exame de Papanicolau na vida, esse fato me estarreceu muito, uma vez que já mantinham relações sexuais há muito tempo, além disso outras não faziam o acompanhamento frequentemente. Muitas mulheres sentiam vergonha, mas com a paciência e zelo que as alunas Allana e Aline do 11º período atendiam, as pacientes se sentiam confortáveis e faziam até depoimentos íntimos demonstrando um grau de confiança por nós. Enfim, a experiência a qual tive foi magnífica e pretendo e espero ser chamada mais vezes. Afinal, momentos assim enfatizam o quão sou grata a Deus pela profissão escolhida”. (Débora Moreira de Oliveira, 2º período Medicina Unilago).

---------------------------------

“Foi uma experiência incrível poder aprender e compartilhar conhecimento com os colegas e professores da faculdade, vivenciar uma realidade diferente da que estamos acostumados e poder ajudar e apoiar aqueles que estão precisando. Esse projeto começou com tudo, mas ainda tem muito pra crescer e pode contar com todo o meu apoio”. (Mariana Lopes Ferraz 8º período).

---------------------------------

“Primeiramente eu gostaria de agradecer a todos os organizadores, a oportunidade de participar de um projeto tão lindo e humano. Ter participado do Projeto Maria Rennotte me fez enxergar que voluntariar é olhar, ouvir, dar atenção, cuidar... e não há nada mais gratificante para o espírito do que distribuir amor. Exercer a medicina na sua essência, ajudando quem realmente precisa só fez com que eu me forme com mais certeza de qual caminho percorrer. Muito grata sempre! (Aline Agustini - 12° período (T2) - Medicina Unilago).

---------------------------------

“Aos 15 anos participei do meu primeiro projeto social e isso mudou a minha vida! Aprendi a me doar e vi que quanto mais doamos, mais ganhamos. Conheci lá desde meus melhores amigos até um novo jeito de olhar para o próximo! Levei essa paixão pra faculdade: fui em todas as ações sociais que pude e criei algumas quando era presidente da liga de GO. Esse fim de semana, tive a oportunidade de participar do incrível projeto “Maria Rennotte” em Conquista-MG. Cada experiência é única, mas nenhuma se compara a ajudar ao próximo com seus conhecimentos, fazendo o que você mais ama na vida! Éramos em 40 voluntários, entre eles: estudantes de enfermagem e medicina, enfermeiros e médicos. Fomos dividimos em: Triagem, Clínica Médica, GO, Pediatria e Psiquiatria. Por afinidade, fui escalada para a GO. Fizemos cerca de 20 atendimentos em 8 horas, entre eles: rotina, realização de papanicolaou, vulvovaginites, infecção de trato urinário baixo, hemorragia uterina disfuncional, nódulos mamários, dispaurenia, alterações de colo de útero; sinais/sintomas de climatério e muito mais... A experiência profissional foi incrível, casos interessantes e oportunidades para pôr em prática tudo que aprendemos nos livros. Mas conhecer essas mulheres; tirar cada dúvida que ninguém nunca tirou; dar atenção às suas queixas; demonstrar o carinho que eles precisavam; e tratar muito mais do que só a doença foi indescritível! Quantas pessoas especiais e quanto aprendizado! Uma lição de vida em cada consulta. A experiência pessoal é de uma eterna gratidão: Gratidão aos patrocinadores, por tornar essa viagem possível. Gratidão a diretoria do projeto, por não desistirem e insistirem em tornar real, tudo o que sonhavam. Gratidão aos pacientes que confiaram no nosso trabalho e nos ensinaram muito mais do que a medicina. Gratidão! Gratidão! Gratidão! Meu desejo é que Deus continue abençoando muito mais vidas através do “Maria Rennotte””. (Alanna Saraiva - 11º período Medicina Unilago).

---------------------------------

“E percebemos que o verdadeiro sentido da Medicina é esse: doação! Doação de atitudes, doação de palavras motivacionais. Em Conquista foi uma experiência indescritível, onde pudemos levar nossa vontade de fazer o bem, juntamente com nosso conhecimento específico e que embora achássemos que fosse pouco, para população foi de suma importância e ajuda! Visto que foram atendidas 134 pessoas, e com total amor e carinho! Obrigada aos Organizadores do Projeto Maria Rennotte pela experiencia de vida adquirida!” (Tatiani Sabadini, 12º período Medicina Unilago).

---------------------------------

O “Maria Rennotte” segue em busca de crescimento, de novas parcerias e muitos outros capítulos a serem escritos.

Para os interessados em entrar em contato e saber um pouquinho mais desse projeto de trabalho segue nossas redes sociais:

INSTRAGRAM: @mariarennotte

FACEBOOK: Projeto de Intervenções Maria Rennotte

EMAIL: projmrennotte@gmail.com

Assessoria de Comunicação Unilago

conteudo auxiliar