Notícias

MEC autoriza o funcionamento do Curso de Bacharelado em Agronomia

01/08/2013 - 18:26

Foto:

O Diário Oficial da União publicou na quarta-feira, 10 de julho de 2013, a Portaria n° 296, de 9 de julho de 2013 da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do Ministério da Educação, em que autoriza o curso de Bacharelado em Agronomia da União das Faculdades dos Grandes Lagos.

O Engenheiro Agrônomo formado pelo Curso de Agronomia da União das Faculdades dos Grandes Lagos, formará um profissional que esteja preparado para atuar, de forma generalista, no manejo sustentável dos recursos naturais,visando à produção agropecuária. Estará capacitado para desenvolver projetos de produção, transformação, conservação e comercialização de produtos agropecuários; organizar e gerenciar o espaço rural; promover a conservação da qualidade do solo, da água e do ar, controlar a sanidade e a qualidade dos produtos agropecuários; desenvolver novas variedades de produtos; otimizar tecnologias produtivas e atuar com as políticas setoriais. Será capaz também de coordenar e supervisionar equipes de trabalho; realizar pesquisa e estudos de viabilidade técnico-econômica e de executar e fiscalizar obras e serviços técnicos. Em sua atuação, considera a ética, a segurança e os impactos sócio-ambientais.

São as ciências e técnicas usadas para melhorar a qualidade e a produtividade de lavouras, rebanhos e produtos agroindustriais. O agrônomo envolve-se em praticamente todas as etapas do agronegócio - do plantio ou da criação de rebanhos à comercialização da produção. Ele planeja, organiza e acompanha o preparo e o cultivo do solo, o combate a pragas e doenças, a colheita, o armazenamento e a distribuição da safra. Cuida da alimentação, da reprodução, da saúde e do abate de animais. Também gerencia a industrialização, o armazenamento e a comercialização de alimentos de origem animal e vegetal.

Mercado de Trabalho

A demanda por esse profissional continua aquecida e tende a aumentar nos próximos anos. "Isso acontece pela contínua necessidade de produção de alimentos para abastecer tanto o mercado nacional quanto o internacional. Também pelo fomento de ações em agricultura familiar e orgânica e preservação ambiental", diz o professor Vitor de Mattos Barretto, da Universidade Estadual de Goiás. A previsão é que a produção de grãos cresça 23% na próxima década. Outro setor que deve demandar muitos graduados nos próximos anos é o de biocombustíveis, já que o governo continua apostando em incentivos para o aumento da produção e ainda há um campo aberto para novas pesquisas e investimentos.

Mais informações: unilago@unilago.edu.br

Assessoria de Comunicação Unilago

conteudo auxiliar